Produtos Baratos x Produtos Caros

Além de ser difícil ser mulher, ainda temos que encontrar o meio termo entre os produtos baratos e os produtos caros. Nem sempre o de mais alto custo é melhor, mas muitas vezes o barato pode sair caro. Não faz muito tempo que comecei a usar maquiagem, tudo por conta de uma força maior chamada trabalho. Desde então venho testando ambas opções de cosméticos, sem medo e sem me importar com a cara feia das vendedoras.

Maquiagem boa é aquela que me permite ficar produzida na maior quantidade de tempo possível sem ter que ir retocar a pele. Além disso, como não nasci top model, tenho problemas de acne, manchas causadas por espinhas espremidas, oleosidade e brilho excessivo durante o calor. Então, outros pré-requisitos para bons produtos são alta cobertura, fixação duradoura e acabamento matte.

Vejo muita gente que torce o nariz para as vendedoras que tentam lhe vender cosméticos da marca Mary Kay porque são muito caros. Custam a mesma coisa que marcas nacionais populares como a Avon, a Natura e a Boticário. Outras pessoas taxam certas mulheres burguesinhas porque optam usar Duda Molinos, Mac, Vichy ou Maybelline. Para o espanto geral, essas marcas possuem muito mais qualidade e custam menos ou praticamente a mesma coisa que Avon, tão idolatrada pelas que se consideram pobres, mas na verdade são mãos de vaca. E ainda temos marcas neutras que cumprem bem o seu papel, mas por não serem tão presentes na publicidade ou no boca-a-boca passam despercebidas. É o caso da Payot, da Revlon, da Tracta e da Catharine Hill.

Temos maquiagens caríssimas que são ruins, como por exemplo, a Loreal e a Make Up Factory. Mas, para quem tem dinheiro, vale a pena investir em Make Up Forever, Dior, Channel, Lâncome, Shiseido e Dermablend. Temos maquiagens baratas de farmácia que são ótimas, como por exemplo, a Marchetti e a Koloss. Mas, também tem muita coisa que na hora fica bonito e depois fica melequento, como é o caso da Vult e Dalius.

Nos próximos posts falaremos a fundo sobre cada marca citada aqui e opinaremos sobre cada um de seus produtos.

(Manuela Maia)

Sobre peles e cabelos im-perfeitos

Giselle Bundchen sem maquiagem

A ideia do blog “Pele Imperfeita” é mostrar dicas realmente relevantes sobre cuidados com a pele e higiene com o corpo, afinal nem todo mundo nasceu top model, assim perfeita. Por falar em top model, nem a Gisele Bundchen escapa dos milagres da maquiagem, então por que não seguir dicas de produção de make-up e conselhos sobre quais marcas de maquiagem comprar ou não comprar? Muitas vezes produtos baratos podem sair caros, assim como os produtos caros podem de alguma forma te decepcionar.

Como muitas dicas são repassadas na Internet são provenientes de pessoas com a pele perfeita, elas buscam produtos com texturas leves que aderem muito bem no rosto. No entanto, estes produtos não irão servir para as necessidades de quem possui uma pele imperfeita, seja com oleosidade, brilho, acne, manchas, poros, cravos ou ressecamento, o que não quer dizer que o produto em questão seja ruim, ele apenas não adequa ao seu perfil de consumidora.

Além dos pés, das pernas, do bumbum, das costas, da barriga, dos braços, dos seio, do pescoço e do rosto inteiro, só isso, as mulheres ainda arrumam tempo para se preocupar com o cabelo. Como a vida seria fácil sendo homem, não? Mas, já que mulheres somos… também devemos arrumar tempo para dicas sobre cuidados com o cabelo, colorações, desaventuras capilares e afins.

Caso você queira colaborar nesta missão sobre peles e cabelos im-perfeitos, embarque neste barco de poros e couros cabeludos. Basta entrar em contato para realizar perguntas, sanar dúvidas, pedir informações, começar a escrever neste blog comigo ou fazer apenas uma participação especial.

É claro que rostinhos e fios de cabelos conhecidos não irão escapar dos cliques do blog Pele Imperfeita, então fotos também são aceitas, bem como tutoriais, passo a passo e conteúdo antes e depois.

Para quem quiser receber as atualizações mais rápido, acompanhe a nossa página de fãs no Facebook. Partiu?

(Manuela Maia)